terça-feira, 22 de dezembro de 2009

João

Recebi esse email de Paulo.
Memórias e lembranças de criança...

"Catando coisas
Eu e João fomos catar umbú muito cedo.
João me guiou pelo caminho espantando as vacas.
Ele abria as cancelas e eu o seguia atentamente prestando atenção nele e no meu passado.
Passaram-se trinta anos desde que era eu quem abria as cancelas. João tem seis.

João é vibrante, como se fosse movido a luz solar. Eu já sou meio lento.
O sol não me carrega mais de nada, apenas do medo de envelhecer e retornar para o presente
com a pele destroçada.

Passando pelo pé de manga catei algumas maduras, mas o João me advertiu para não come-las
porque estavam quentes e assim fazem muito mal. Eu obedeci prontamente.

Catamos umbus caídos, mas eu subi nos galhos para tornar o passado mais fácil de ser lembrado.
Cresci demais, não tenho mais a mobilidade de um saguí como naquela época.
Contei para o João sobre o dia que pisei numa lagarta de fogo bem ali e lhe pedi para que sempre
tomasse cuidado com esses bixos medonhos! Ele nem me deu ouvidos...

Aí, explique pra ele o que era uma cuca, e que a Cuca do Sítio do
Pica Pau Amarelo morava ali dentro daquela raíz.
_Quem é Cuca?, ele me perguntou.
Achei que não fazia mais sentido lhe explicar...

Quando estávamos sobre o pé de ceriguela que fica logo mais a frente, na beira do rio,
Antonio se juntou a nós chupando uma manga, daquelas quentes, mas não parecia
fazer-lhe mal algum.

Na volta saquei a câmera para fotografar uma vaca mijona e seu bezerro orelhudo.
João que segurava minha mão me puxou e perguntou:
_Tio Paulo porque você é assim diferente?
_Diferente como, João?
_Assim doidim...


meus queridos amiiiiiigos, desejo a todos um feliz natal e um ano novo cheio de mais memórias,
de histórias pra contar, de lugares pra visitar e revisitar, um ano novo cheio de família,
cheio de nascimentos, cheio de frutas frescas, sem medos de cair e se cair, que amadureçam
fincadas no chão como toda fruta deliciosa amadurece...
Como amor quente do sertão..."

Agora, só quero saber se o sertão é mais quente que Black River...

Serigüela

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

quadros

Comecei a reparar em quadros quando morei em sp e conheci a casa de Paulo.
Não tem esse negócio de combinar quadro com parede; com a cor dos móveis etc etc.
Mas a principal vantagem, na minha opinião, é que não ocupa espaço; e para pessoas desastradas como eu é ótimo.