segunda-feira, 10 de julho de 2006

só por um momento

Só por um momento estive só.
Abri a porta. Não tinha ninguém - mas havia a música.
Minha mala continuava lá. No corredor e não mais na sala como antes.
Procurei em todas as portas, em todos os quartos. Não tinha ninguém.
Nem Paulo nem João nem ninguém.
Saí sem rumo, sem noção de direção procurando uma companhia.
SP... sempre com muita gente, sempre muito só.
Porém, no final tudo sempre acaba bem pois não precisamos de tantas pessoas. Só precisamos das melhores.
E dessa vez as lágrimas foram de felicidade na sua maneira mais pura e ingênua - sem pretenção nenhuma.
Beijo a todos.