quarta-feira, 9 de novembro de 2005

o lúcido? ou lúdico?

Uma pessoa lúcida... eu? Não. Mais para um lúdico ou um irracional.

O lúdico pode ser interpretado como ingenuidade – que é muito errado.

Eu percebo que cada vez mais as pessoas se esquecem desse fator importante: tudo o que é lúdico – o humor, a fantasia, o riso, a arte (ah... a arte, onde estará ela?).

Demorei para ver que a arte não era uma coisa supérflua, como imaginei por muito tempo. Hoje vejo que não posso mais viver sem isso.

Seria ingenuidade de minha parte? (é nisso que quero chegar)

Não é ingênuo apreciar as coisas belas. Nem um pouco ser muito louco e viver no mundo da fantasia. O mundo “real” é muito racional (uffhh) – coisa que não sou nem um pouco – embora eu tente ser no dia a dia.

Isso se torna um tormento quando se vive nesse mundo onde ninguém valoriza esse tipo de coisa. Há sim opções em grandes centros como SP – todos esses centros culturais, casa de shows, teatros etc. Fora deles, a realidade é pior... bem pior: muito chata.

Eu quero deixar claro com deveras importância que isso são coisas não voláteis para a maioria das pessoas. São itens de valor somente para aqueles que têm suas necessidades básicas satisfeitas. É impossível alguém que passe fome ou não tem onde morar ir ao teatro e apreciar uma obra; ou veja o caso da educação: ninguém ta nem aí pra nada. Estudar? Pra que?

Quanto a mim... vou continuar enxergando o mundo com esses olhos ingênuos. Que mal poderei fazer se quiser ver o azul, vermelho? Que mal há eu querer valorizar coisas incomuns? Eu sou obrigado a conviver com tanta ignorância e isso cansa. E muito.

Com isso procuro não julgar ninguém pois nesse mundo de valores não existe aquele que é certo ou errado. Porém é necessário que esses valores sejam respeitados.

Se o Jr não beijou na novela? Esse é só mais um sinal da hipocrisia?

Ou será que só eu estou vendo isso? Devem ser meus olhos, ingênuos demais; ou também minha mente, muito lúdica e irracional...

Pobre de mim.

quinta-feira, 16 de junho de 2005

Neverland!!

Bom.... eu não podia deixar de falar nos três últimos assuntos em evidência na mídia: o fracasso de Débora Secco; a Corrupção e é claro Michael Jackson!!!

“Mas como João? É muita informação de uma vez?”

Isso é o que você pensa!

O que Glória Perez está fazendo? Muito simples: Sol (que nome péssimo) irá passar fome e com isso tentará dar seus golpes por debaixo do pano. E é claro que ela irá presa – tadinha. Mas antes da condenação principal, ela fará um acordo com Michael Jackson!! Bom, na realidade serão dois acordos: ou ela tentará ficar branca para passar despercebida – mas isso é muito cafocna – ou ela irá ser a mais nova mãe de aluguel para Michael poder exercer seus prezeres pedofi.... em paz com um filho só seu, um ser só seu e sendo esse seu filhinho ninguém poderá suspeitar de nada!!!

Viva Neverland....

Quanta bosta, não?

quinta-feira, 5 de maio de 2005

testando

Estou testando as atualizações.
Leiam o texto abaixo.

Eu moro no Projac

Obs: quando escrevi isso, provavelmente estava sob efeito de alguma droga, só não me lembro de qual delas!!


Há muito eu já gostaria de ter escrito essa bobagem.

Eu, definitivamente, moro no Projac. Acho que vou pedir a Globo meus Direitos!

Isso mesmo. Acho que minha cidade – Poloni – é e sempre foi uma cidade cenográfica; não só a minha cidade, mas acho que em todas as “vilas” com até 5 mil habitantes.

Ela tem todas as características de uma:

- as beatas

- os peões

- os políticos corruptos

- os pinguços

- os traficantes

- as mocinhas com os bandidos

- as bichinhas caricatas

Etc etc....

“EiJoão!?, você está equivocado... isso tem em qualquer lugar do mundo!!”

Concordo. Mas aqui há um agravante: é um núcleo somente.

Em novelas, há vários e nem sempre pessoas de um núcleo conhecem as de outro.

Aqui não. É uma mistura só! Uma farra. Todo mundo, na maior hipocrisia, sabe da vida de todo mundo – e ai, se saírem da linha.

Ou seja, em cidade pequena e conservadora – com em qualquer novela – não há uma casa diferente. Não diria diferente, mas com personalidade;

Não há também quem discorde de alguma opinião geral. Quem fizer o contrário será considerado louco – como eu sempre fui chamado.

Há também o esquema da missa. Adoro ver os “religiosos” - seja lá de qual for a religião em questão – comentarem sobre algo de inusitado ou algum fato político. Sempre colocam a Bíblia (coitada) no meio da história ou senão consideram tudo um pecado: “imagina, usar camisinha, jamais!!!” E por aí vai.

E no meio disso tudo, qual é a moral da história?

Ainda bem que existe García Márquez, Virgínia Woolf, Luis Borges, Michael Moore, Tarantino, Bob Dylan etc etc.

Resumindo: se continuarmos na mesmice, jamais evoluiremos. Adoro e admiro todos os que puderam sair da rotina. Assim, bom, assim, quem sou eu para concluir alguma coisa. Eu lá tenho criatividade para isso?

quarta-feira, 13 de abril de 2005

Um preconceito hipócrita

Não sei se irei conseguir expressar o que estou querendo dizer.

Não estou conseguindo encontrar uma linha de raciocínio.

Mas vamos tentar....

Tudo na vida é uma questão de valores. Certo?

Por exemplo: o valor que um final de semana em são paulo me propiciou? Foi muito significante poder rever muitos amigos e principalmente se divertir com eles. Ou isso não é coisa para ser valorizada? Estaria eu supervalorizando certos momentos e menosprezando outros? Acho que depende de ponto de vista.

Beber para alguns – hipócritas – é mais que motivo para ir para o inferno. Outro dia estive pensando: só a partir da Idade Média é que as orgias e o sexualismo foi proibido e considerado um dos 7 pecados!!! Para variar, pela igreja – sempre ela! E outro tabu a ser mencionado é que certas drogas dão prazer e propiciam momentos de criatividade. Isso é fato cientificamente comprovado.

Para chegar a esse pensamento liberal levou certo tempo. Eu tinha preconceito em ralação a coisas importantíssimas. Por exemplo: a moda e a arte.

Às vezes pensava que moda era coisa só para aparência física e que o importante era o conteúdo; ou que era besteira pensar em gastar com certas roupas em um país como o Brasil. Pura bobagem!

Já em relação a Arte foi mais difícil ainda! Principalmente em relação às Artes Plásticas. “o que... isso é arte?” É... não vamos agora discutir o significado dela mas sim verificar que temos de prestar atenção pois aquele artista que você possa estar julgando sendo um burguês de merda ou um escritorzinho meia boca no futuro pode sair ganhando de você.

É.... estou falando muita bobagem hoje?

quinta-feira, 27 de janeiro de 2005

Dessa para uma melhor? Nem tão rápido...

Imagino que todos nós estamos aqui na terra para evoluirmos e quem sabe irmos para outro planeta melhor, caso aprendamos alguma coisa.
Aqui em casa, em particular, acho que quase todo mundo vai dessa para uma melhor.
Há pessoas que chegam ao seu destino - após a morte - mais rápido que outras.
Minha mãe será a que vai direto. Sem parada em nenhum ponto intermediário. Isso porque minha avó está deixando ela louquinha. Minha mãe bem que poderia contar com a ajuda de seu irmão - que faz questão de não participar.
Meu pai pela sua paciência em tomar decisões sábias e saber ouvir. Isso o fez - acredito eu - uma pessoa sensata e com bom senso. Ele já vai parar uma vez antes de chegar lá - pela sua teimosia.
Já eu... bom eu nem vou falar nada. Só de eu ter que morar em Poloni e viver duas vidas paralelas e completamente diferentes já é muita coisa para uma pessoa só. Mas que eu vou parar muito, ah isso eu vou!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2005

Uma confusão só!

As pessoas estão confundindo as coisas.
Nos momentos de carência se tornam as pessoas mais interessantes e atenciosas.
Logo em seguida, se a tentativa não dá certo, vem o furacão.
Sim... mas isso tudo porque seria?
É pessoal. Vamos trabalhar a auto-estima!
Sei que também eu não sou ninguém para falar nada, pois meu passado me condena - mas nem tanto - mas poxa vida... às vezes tenho a impressão que esse mundo tá uma putaria só.
JP