terça-feira, 6 de abril de 2004

A Revolução de Cristo
Se Jesus estivesse vivo, não imaginaria quantos seguidores ele vem perpetuado. Se antes tivemos discípulos disciplinados, hoje temos seguidores usurpadores. Não muito diferente daquele tempo, os de hoje tentam tirar proveito de alguma coisa, usando Seu nome em vão.
CURA PELO TELEFONE
Teve um dia, quando estava indo para Poloni, ouvi meio de ralance uma rádio evangélica. O locutor estava – veja bem! – tentando “curar” uma pneumonia de um ouvinte, usando o nome de Jesus, e que Ele lhe faria um milagre! “Em nome de Jesus....”
FACILITAMOS
Até o Governo facilita as coisas para a gente. Abrir uma igreja hoje em dia é moleza. Qualquer um pode. Ela nem precisa ter todo o glamur de antes. Pra quê ter vitrais? Obras de arte? Descartaram até as Imagens dos Santos. No máximo é uma velinha e olha lá.
SIMPLICIDADE É TUDO
O que está na moda hoje é a igreja pobre. Uma fachada bem simples, com um nome bem criativo - como “Igreja Bola de Neve” etc – e um quartinho de um cômodo. E precisa mais? Não era Jesus o exemplo de simplicidade? Será que ele se sentiria em casa numa igreja dessas? Para quem nasceu nos fundos de casa ao lado de cabras e cabritos acho que tá bom. Isso sem falar das oferendas. Jesus iria adorar. Aposto que ele se revoltaria e ainda pediria indenização por danos morais por usarem o nome Dele sem autorização divina.
IMAGINAÇÃO
De vez em quando aparece algum “suposto” Jesus. Dizem que é a nova revelação de Deus. Bla bla bla. Ah, e crença religiosa tem muito a ver com a fé. Quanto mais pobre você for, maior será sua fé e sua crença num poder divino. Isso explica aquela imagem de Nossa Senhora no cantinho de casa com uma vela de 7 dias do lado, ou também aquela novena ou a quaresma – quem nunca fez uma promessa na quaresma?
Por isso é que Igreja dá dinheiro. Além, é claro, do Carnê do Baú. O que seria de Seu Sílvio sem ele?

0 comentários: